É dos 90’s que eles gostam mais: década conquista apogeu no streetwear

14 - 10 - 2014

mequetrefismos-anos-90

Recebi da minha mãe umas fotos digitalizadas dos idos anos 90, motivo pelo qual escolhi o tema dessa coluna. Eu, que nasci no final dos 80’s, lembro com a clareza da infância/pré-adolescência da década em que os microcomputadores chegaram até nossas casas, que vimos o advento do Compact Disc (aka CD) e da internet dial up – além da explosão de girls e boybands como Spice Girls e Backstreet Boys. Parece que tudo isso voltou à tona e a moda resgata nas memórias mais profundas de nossas secretárias eletrônicas e disquetes todo o espírito jovem, prático e casual dos anos “holográficos”.

Imagem: Reprodução/Pinterest

Imagem: Reprodução/Pinterest

Esqueça o clima barroco, romântico e decorativista que a moda desfilou por longas temporadas – se é que isso é possível. O novo artigo de luxo é a jeanswear, que marcas como a cool Marques D’Almeida, que acaba de lançar coleção colaborativa para a TopShop, e a sofisticada Prada desenvolveram com seus respectivos DNA’s e conquistaram ícones de moda que vão de Rihanna à Costanza Pascolato. Além de jaquetas, jardineiras e macacões, que já circulam com uma certa facilidade pelo street style global, o novo item a arrebatar os corações fashionistas é o “mom jeans”, calça com modelagem unissex de cintura mais alta, que tornou-se o último grito cool. Saias, shorts e short-saias(não há nada mais 90’s) com o denim são arrematados por t-shirts e o bom e velho tênis, que pode ser ele um New Balance ou um Nike Air Max 90, que trazem toda a atmosfera confortável e despretensiosa de uma geração que também conviveu com o consumismo, a “logomania” e os delírios de se ter um closet como de “Cher”, a Patricinha de Beverly Hills interpretada por Alicia Silverstone.

Imagem: reprodução/Pinterest

Imagem: reprodução/Pinterest

A década mais democrática de todos os tempos também foi marcada pela sua artilharia pesada quando falamos em acessórios. Talvez o mais emblemático seja os calçados de plataforma, que arrematavam os looks das garotas mais “apimentadas” – leia-se Mel B, Mel C, Victoria Beckham, Geri e Emma. O artifício deixou nas alturas sandálias, tênis e até chinelos. Outros complementos com veia noventa que vivem uma ótima fase são as gargantilhas, as que remetem a tatuagem ou não, as Melissas, anéis do humor, toucas e bonés.

Imagem: reprodução

Imagem: reprodução

Por fim, mais um ponto fascinante do noventismo são as tribos. Ok, você podia ser adepto do É o Tchan e de Matrix ao mesmo tempo, ecleticidade é isso. Contudo, desde a elegância simples de babydoll dresses e das cores neutras do minimalismo, passando pelo xadrez-rebeldia com direito a correntes e jeans navalhados do grunge até chegar a efusiva estética clubber que nos premiou com toques de neon e furta-cor, além de elementos em vinil e metalizados, tudo pode. Esta talvez tenha sido a herança mais importante dos anos 1990, que se reflete até hoje: a de uma moda regida por inúmeras tendências e vertentes, em que tudo acontece “ao mesmo tempo agora”. Como já dizia uma das musas surgidas na época, isso não é feitiçaria, é tecnologia.

 

{Conteúdo produzido originalmente para Puretrend}