Dossiê Afrofuturismo: saiba mais sobre o movimento cultural

17 - 03 - 2015

mequetrefismos-afrofuturismo-OK-destaque

 

 

mequetrefismos-afroturismo-1

Imagine uma viagem ao futuro, com elementos hi-tech, mas ao mesmo tempo com toques de ancestralidade. Assim podemos entender o Afrofuturismo, movimento pluridisciplinar que utiliza a música, as artes plásticas, a moda, entre “otras cositas más”, e que estabelece o encontro entre a história, o resgate da mitologia e cosmologias africanas com a tecnologia, a ciência, o novo e inexplorado.

mequetrefismos-afrofuturismo

HISTÓRIA:

O Afrofuturismo surgiu na década de 60, em paralelo a efervescência da cultura Beatnik, que, por sinal, era forte entusiasta de ritmos afro-americanos. Um dos pioneiros do movimento afrofuturista foi o compositor de jazz, poeta e “filósofo cósmico”, Sun Ra:

mequetrefismos-sun-ra

mequetrefismos-afrofuturismo-sun-ra

O pseudônimo usado por Herman Poole Blount pontua um dos principais tópicos do movimento: a conexão com o passado, com o místico e primitivo. Afinal, o “Sun” nada mais é do que o regente, o poder, a luz e “Rá” é o Deus da mitologia egípcia que representa o atro-rei. O artista faleceu em 1993:

Porém, apenas em 1994, o Afrofuturismo tornou-se de fato um movimento cultural, graças ao escritor americano Mark Dery , que trouxe para um ensaio batizado Black To The Future: ficção científica e cybercultura do século XX a serviço de uma apropriação imaginária da experiência e da identidade negra, a definição da estética futurista afro.

O ambiente que surge do descompasso entre o fim das guerras civis na África e a reconstrução das cidades atingidas, fizeram com que artistas africanos como Kia Henda e Nástio Mosquito criassem as suas próprias interpretações e acrescentassem ao debate a importância da extinção do conceito da imagem do negro como pejorativamente exotizado, que muitas vezes é retratado por Hollywood. “Mostro como identificam o exotismo no africano e como isso propagou a imagem do negro, do preto, do tribal, o que constrói todo o preconceito.”, disse Mosquito, em matéria publicada na Folha de S. Paulo em 2010.

mequetrefismos-afrofuturismo-Nastio-Mosquito-Kia-Hendra

Kia Henda e Nástio Mosquito

Mas se por um lado a indústria cinematográfica americana conseguiu propagar a imagem do africano como exótica, alguns artistas contemporâneos da terra do Tio Sam também ajudaram a desmistificá-las. Nomes como Outkast e Janelle Monáe conseguiram levar o conceito para o mainstream de forma bastante positiva, inserindo elementos do jazz, ficção científica e psicodelia tanto em seus trabalhos, quanto na estética:

mequetrefismos-afrofuturismo-janelle-monae-outkast

Em 2014, o movimento ganhou um evento no MoMA PS1, o Moondance, que celebrou a cultura afrofuturista a partir da leitura, dança e experiências de música ao vivo, sempre fazendo valer a ideia da liberdade de expressão, autoconfiança e empoderamento.

ESTÉTICA:

- Referências ao misticismo, primitivo e a mitologia africana:

4d2e1c33302914718562c40a633cf217

mequetrefismos-afrofuturismo-looks

8178f6028ab55e1939529434f2fedcb2

mequetrefismos-afrofuturismo-inspiracoes

b03dfda22fc47169243610119c1e6d74

- Roupas sobrepostas, alongadas e com várias camadas:

mequetrefismos-afrofuturismo-looks-alongados

- Elementos com mood Sci-Fi:

mequetrefismos-afrofuturismo-sci-fi-glasses

mequetrefismos-afrofuturismo-sci-fi

beyoncerobot2

- Cabelos descoloridos:

2ce6b76feb96f36498e0519eadd1fe4a

mequetrefismos-afrofuturismo-cabelos-descoloridos

10943857_10203679012272407_7611251516750239891_n

b072189105f659006a228ab7c4f4a4e3

- Metais/Specchio:

mequetrefismos-afrofuturismo-metais-extras

mequetrefismos-afrofuturismo-metais

- Makes em tons de azul e roxo:

mequetrefismos-afrofuturismo-make

mequetrefismos-afrofuturismo-make-1

OUTRAS INSPIRAÇÕES:

Para ler: Octavia Butler e Ytasha Womack.

mequetrefismos-afrofuturismo-octavia-butler-ytash-womack

Para ver: Basquiat e Spike Lee.

mequetrefismos-afrofuturismo-basquiat-spike-lee

Para vestir: Project Tribe  e DaoLondon.

mequetrefismos-afrofuturismo-labels

Para ouvir: Parliament, Funkadelic

mequetrefismos-afrofuturismo-funkadelic-parliament

Grace Jones, Jimi Hendrix, Miles Davis.

mequetrefismos-afrofuturismo-jimi-hendrix-miles-davis-grace-jones

Literalmente, um novo começo de era: fino, elegante e sincero.