5 RAPPERS BRASILEIRAS CHEIAS DE ESTILO QUE VOCÊ PRECISA CONHECER (E SE INSPIRAR)

23 - 10 - 2014

mequetrefismos-modices-rappers-nacionais-tassia-reis-7-741x493

Elas são lindas, talentosas e com o suingue correndo nas veias. Tássia Reis, $hanel, Lurdez da Luz, Flora Matos e Karol Conká são as rappers brasileiras que formam um time de novas damas desta fascinante cena musical (que já tem ótimas representantes como Negra Li, Nega Gizza e, mais recentemente, Pearls Negras) e estão conquistando o mundo (e nossas playlists) com muito ritmo, personalidade e estilo. Fizemos umas perguntinhas para elas e descobrimos desde o que as inspira até onde são os melhores lugares para ouvir um “rap du bom”.

Tássia Reis

Estou apaixonada pela simpatia e astral cativantes da moça que me fez lembrar “apenas” mulheres como Nina Simone, Billie Holiday e Sarah Vaughan. Tássia é natural de Jacareí, SP, e desde bem nova iniciou sua relação com as artes a partir de um projeto de dança de sua cidade. Sua voz doce e inconfundível despontou em 2011, fazendo participações em trabalhos de nomes como Marcelo D2 e Rashid, além de ter sido backing vocal de Clawdia Ejara.
A carreira solo aconteceu em 2013, quando lançou o clipe Meu Rapjazz, nome que faz jus a atitude e a sonoridade da cantora. Ela, que também já abriu o show do consagrado Racionais MC’s, foi o som que descobri mais recentemente e está no “repeat”.
mequetrefismos-modices-rappers-nacionais-tassia-reis-7-741x493
Quanto ao assunto estilo e “hotspots”do rap, ela mesma responde para a gente!
Luiza Brasil: Quais são as principais referências de moda e estilo?
Tássia Reis: Minha mãe foi e é a minha maior referência. Sempre usou acessórios extravagantes, estampas e turbantes. Grande amante de brechós, ela viveu os anos 70 e 80, que amo e tenho muita inspiração. Um ícone em comum que amamos é a Grace Jones!.
L.B.: Quais são os locais bacanas para se ouvir um “rap du bom”?
T.R.: Existem muitas festas legais pra se ouvir um bom rap. Vou falar de uma aqui no Vale do Paraíba, a Urban Black, a festa é no melhor estilo #WeLiketoParty. Em SP, 2 eventos lideram o meu ranking: a Chocolate na Clash Club, que bato cartão lindamente, e a Rock Master Party, que é direcionada para Street Dancers, feita em vários lugares, mas o local oficial é na Gruta, bar super underground, próximo ao metrô Anhangabaú . Mas nenhum lugar se compara ao meu quarto, onde eu ouço com calma meus sons preferidos.

$hanel

Digna de uma “front-row” de um desfile de Karl Lagerfeld (aliás, o “kaiser”, diretor criativo da Chanel, bem que poderia pensar em uma coleção inspirada no universo do rap). Paula Custódio de Carvalho, aka $hanel, nasceu em Osasco e, pasmem, tem apenas 20 aninhos! A lindona que, apesar das produções cheias de correntes, top croppeds e sneakers “pesados” não perde a sua atitude “girlie”, começou a cantar entre amigos, sem nenhuma pretensão.
A chave do sucesso de Paula foi o seu namorado, que a incentivou a colocar na internet um vídeo de uma de suas músicas, que gerou uma baita repercussão.
 mequetrefismos-modices-rappers-nacionais-shanel-1-481x320
L.B: Quais são as principais referências de moda e estilo?
$hanel: Assim como a música, adoro o estilo das cantoras que são minhas influências: Rihanna, Aluna George, Madonna, Becky G e MIA.
L.B: Quais são os locais bacanas para se ouvir um “rap du bom”?
$: Aqui em SP eu recomendo a Clash Club, festa Chocolate, às terças-feiras, Sintonia e Up Club!

Lurdez da Luz

Ela já é uma MC e cantora de destaque com bastante respeito na cena brasileira e tem uma relação com moda que vai muito além de se vestir. Natural de São Paulo capital, Luz entrou na cena musical em 1994 e um pouco depois ingressou como vocal do grupo de hip hop Mamelo Sound System. Sua carreira solo veio a acontecer em 2009 e um ano depois ela lançou o seu primeiro single, Andei.
Entre as parcerias que selam sua trajetória estão a colaboração com o grupo 3 na Massa (que é sensacional), Black Allien, Nação Zumbi, DJ Marky (<3) e o ícone Afrika Bambaataa. Nossa representante do rap nacional já mostrou também que sabe ser estilista de mãos cheias e já desenvolveu coleção de camisetas, além de contar com uma infindável lista de parcerias criativas. Coisa para poucas e excelentes.
mequetrefismos-modices-rappers-nacionais-lurdez-da-luz-10-741x494
L.B: Quais são as principais referências de moda e estilo?
Lurdez da Luz: Eu me inspiro em mulheres admiráveis de todos os tempos e lugares do mundo… No palco eu sou performática, gosto muito de pensar em figurino que não só me deixe mais bonita, como também ajude a minha música a expressar toda a sua autenticidade. Eu gosto de estar sempre conectada com mentes criativas da nova moda brasileira e gosto de desenvolver peças exclusivas. Fui apresentada a Isa Zendron, que fazia Casa de Criadores, e fizemos alguns figurinos e desenvolvi uma coleção de camisetas com o Luan Mello que tem a Monztrare. Agora, estou num momento de muita empolgação com os figurinos que a Marcita da A dor Amores, marca de roupas íntimas, e a Tropical Wear, voltada pro street, estão criando para mim. Ideologicamente temos muito a ver.

“Eu me inspiro em mulheres admiráveis de todos os tempos e lugares do mundo”

L.B: Quais são os locais bacanas para se ouvir um “rap du bom”?
LdL: Para mim, a Matilha Cultural sempre que tiver festa de rap e shows. É um lugar muito alto astral para ir. A Quarta Mutante comandada pelo KLJay e pela DJ Typá, é demais! Eu adoro ir na festa da Gang em Diadema, que aí é só nostalgia… Se você quer ouvir as pérolas dos 80 e 90 da Black Music, leva uma caixa de cerveja, deixe num isopor pra todo mundo beber o quanto quiser e o lava-rápido vira uma pista bem louca.

Flora Matos

A primeira vez que escutei o som dela foi em 2013 e, de lá para cá, o seu hit Pretin não saiu de mim. Nascida em Brasília e criada por uma família de artistas, Flora tem a música nas veias desde os quatro anos de idade, quando já subia no palco nas apresentações da banda de seu pai, a Acarajazz. Mas foi em 2006 que aconteceu a sua primeira aparição como MC e de lá até hoje não parou mais. A brasiliense acumula em sua carreira parceria com nomes como Céu, KL Jay e Mano Brown. Ela fez sua primeira turnê internacional pela Europa em 2008 e, atualmente, ganhou o apoio técnico da equipe Freak House de Seu Jorge.

mequetrefismos-modices-rappers-nacionais-flora-matos-2-523x357

L.B: Quais são as principais referências de moda e estilo?
Flora Matos: Minha maior referência é minha intuição. Mas me identifico com aRihanna e com a Kelela, acho as duas cantoras mais estilosas do momento.
L.B: Quais são os locais bacanas para se ouvir um “rap du bom”?
F.M: Todos os lugares ficam bacanas quando a gente pode ouvir um “Rap du bom”. Mas eu adoro a festa Chocolate que acontece toda terça-feira na Clash Club e também adoro a festa do Dj Nuts que acontece no Nola Bar, na Vila Madalena, também em São Paulo, toda as quarta-feiras.

Karol Conká

Não tem como não falar das musas do rap nacional, sem falar na Karoline dos Santos Oliveira, aka Karol Conká. A curitibana considerada uma das principais representantes do rap nacional iniciou sua trajetória aos 16 anos, após participar e ser vencedora de um concurso de rap na escola. Conheceu MC Cadellis e Cilho, que deram origem ao Agamenon e em seguida foi para o grupo Upground. Depois disso? Foi só sucesso! Karol lançou o single Boa Noite em 2011 e lançou o seu primeiro álbum, o Batuk Freak em 2013, mesmo ano em que ganhou o prêmio Revelação do Prêmio Multishow. Atualmente, a cantora está em turnê pela Europa até o final de outubro e, por isso, fica a minha promessa de saber tudo, absolutamente tudo sobre seu estilo e seus lugares preferidos para escutar um sonzinho bom num próximo post. ;)

mequetrefismos-modices-rappers-nacionais-karol-conka-5-520x293

Não há mais desculpas para não amar, não admirar e, sobretudo, não se inspirar nessas rappers brasileiras!

 (Post produzido originalmente para o MODICES)